Tatuagem

Oxitocina, o “hormônio do amor”.

Esta figura foi retirada do site www.umaquimicairresistivel.blogspot.com.br

Segundo registros, as tatuagens existem há mais de 3500 anos. Desde o início elas foram consideradas como uma forma de comunição entre os indivíduos de uma mesma comunidade. Elas podiam representar fatos como, por exemplo, o nascimento de uma pessoa ou, simplesmente, uma forma de celebração da vida ou de identificação de um prisioneiro.

 

A Química, evidentemente, está presente no “mundo das tattoos”. Os pigmentos mais utilizados para esse fim são formados por:

 

• Óxido de titânio – branco;

• Sais de cromo – verde;

• Sais de cádmio – amarelo ou vermelho;

• Sulfeto de mercúrio – preto;

• Óxido de ferro – amarelo, castanho ou rosa;

• Sais de cobalto – azul

Esta figura foi retirada do site www.momentoscafeinados.com.br

Existem tatuagens que são temporárias - as de henna. O nome é oriundo da planta em que a pigmentação é retirada: Henna Lausonia Inermes. A sua coloração natural é marrom ou ferrugem e não tem efeito tóxico. O problema ocorre quando é adicionada à pintura o composto parafenilenodiamina que, além de torná-la preta, facilita a secagem. Apesar de temporária, ela pode provocar reações alérgicas em algumas pessoas.

Site mais bem visualizado no Google Chrome

É proibida a utilização do material existente neste site para fins lucrativos.



O conteúdo pode ser utilizado por qualquer pessoa, desde que de forma pessoal e a fonte seja citada. Qualquer outra utilização do material encontrado nesse site deverá ser solicitada ao autor.



Caso algum conteúdo aqui publicado não tenha recebido o devido crédito, por gentileza,