Polarímetro

Polarímetro

Figura retirada do site www.labotienda.com

O princípio da polarimetria é bastante conhecido há muito tempo, sendo basicamente a inclinação do plano da luz polarizada ao atravessar uma substância OPTICAMENTE ATIVA.  Mas o que é uma substância opticamente ativa?  São substâncias que têm a propriedade de alterar o plano da luz polarizada que a atravessa, sendo que estas substâncias classificam-se como levogiros (inclinação para esquerda “-“) ou dextrogiros (inclinação para a direita “+”), razão pela qual temos em polarímetros a variação de leitura de -80° a +80°, por exemplo.

 

Para que um composto orgânico seja opticamente ativo é necessário que suas estruturas moleculares sejam assimétricas, ou seja, suas moléculas devem possuir carbonos assimétricos, que é o carbono que possui os quatro ligantes diferentes, ou seja, carbono com ligação dupla ou tripla nunca pode ser assimétrico. O carbono assimétrico ou quiral é representado por C*.

 

Onde podemos aplicar isto na prática?  O caso mais comum é para medir a pureza do açúcar, especialmente para exportação. Nas indústrias de alimentos também pode ser usado para identificar a concentração de lactose, sacarose, lactoglobulina, ácidos lácticos etc. Uma aplicação interessante é quando queremos saber a concentração de açúcar numa solução, mas com o interesse inverso do normal, ou seja, para produtos que não podem ter açúcar (sugar-free) podemos usar o polarímetro para identificar se há ou não açúcar.

 

O aparelho também pode ser utilizado em outras áreas, como por exemplo:

 

•    Indústria farmacêutica: usado para medir a rotação óptica em medicamentos;

•    Medicina: utilizado para definir o teor de açúcar e de proteína da urina;

•    Pesquisa: utilizado no desenvolvimento de novos produtos.

 

 

Fontes

http://www.acatec.com.br

http://www.splabor.com.br