Cheiro da chuva

Muitas pessoas percebem no ar um cheiro característico após a chuva. Você nunca notou? Que pena! É um dos pequenos prazeres da vida... Mas, afinal, de onde vem esse cheiro?

 

Por mais estranho que possa parecer, a fragrância é causada por uma bactéria. As colônias de Streptomyces - tipo de bactéria filamentosa - crescem naturalmente no solo quando as condições são úmidas e quentes. Nas épocas de seca, elas entram em estado de latência (espécie de hibernação). "Nessa fase, a bactéria continua viva, mas não se reproduz porque não há umidade suficiente", segundo o engenheiro agrônomo Miguel Ângelo Maniero, da Universidade Federal de São Carlos.

 

A situação muda quando começam a cair as primeiras gotas de chuva: os pingos "despertam" esses micro-organismos. Algumas partículas que repousam na camada externa do solo são impulsionadas para a atmosfera e se misturam com o vapor em suspensão, gerando uma espécie de "aerossol". Além de gotículas de água e minúsculos grãos de terra, esse aerossol também contém as colônias de Streptomyces.

A chuva ativa a capacidade reprodutiva da bactéria, fazendo com que ela libere no ar milhares de células reprodutoras, chamadas de esporos. São eles que geram novos seres e exalam o "cheiro da chuva". As pessoas percebem o cheiro porque inalam os esporos que ficam suspensos no ar.

 

É importante ressaltar que a Streptomyces não faz mal à saúde humana. Aliás, muitas das espécies desse gênero servem como matéria-prima para a fabricação de antibióticos.

 

Esta figura foi retirada do site www.luizberto.com

Site mais bem visualizado no Google Chrome

É proibida a utilização do material existente neste site para fins lucrativos.



O conteúdo pode ser utilizado por qualquer pessoa, desde que de forma pessoal e a fonte seja citada. Qualquer outra utilização do material encontrado nesse site deverá ser solicitada ao autor.



Caso algum conteúdo aqui publicado não tenha recebido o devido crédito, por gentileza,